Outubro Rosa: Um chamado pela vida - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

Outubro Rosa: Um chamado pela vida

Outubro Rosa: Um chamado pela vida

Por Raabe Moro em 15/10/2015.

“Uma alimentação saudável e equilíbrio físico e emocional ajudam a afastar o risco de tumores malignos” é o que afirma o Presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) que falou nas redes sobre a importância da luta pela prevenção ao câncer de mama.

câncer de mama

Outubro é o mês da consciência pela prevenção do câncer de mama, caracterizado pela iluminação rosa em grandes monumentos públicos, além de campanhas por todas a mídias. Mas não é somente nesta época que as mulheres devem se mobilizar para fazer o autoexame e o mamográfico.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer José de Alencar (INCA), o câncer de mama corresponde a uma média crescente de 22% de novos casos a cada ano, representando 1,7 milhão de diagnósticos. Devido aos exames, a doença é a quinta causa de morte por câncer em geral, são aproximadamente 522.000 óbitos por ano, sendo essa numeração maior entre as mulheres.

Para lutar pela vida das mulheres, foi instituído o movimento Outubro Rosa, que começou nos Estados Unidos em 1997 e hoje é difundido por todo o mundo. “O mês representa a força e a delicadeza da mulher que luta contra essa doença, mas também evidencia a vulnerabilidade do sexo feminino, o mais acometido (90%) por esse câncer silencioso e que pode ser fatal, registrando 12 óbitos a cada 100 mil mulheres de acordo com o INCA”, diz o presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBPOC), Evanius Wiermann. Neste mês, os monumentos em todo o mundo se colorem de rosa na tentativa de chamar atenção da sociedade para essa luta amarga.

Para o presidente, diante desses números que continuam assustadores, o grande desafio dos órgãos e empresas públicas e privadas ligadas à saúde é conscientizar as mulheres sobre a importância da realização de mamografias regulares, que é um raio X da mama, e autoexame (palpação), que ajuda na percepção de nódulos. Com esses cuidados, é possível descobrir a doença ainda em fase inicial, quando as chances de comprometimento em outros órgãos são menores e, consequentemente, a possibilidade de cura do paciente é maior.

COMO EVOLUI O CÂNCER DE MAMA

O câncer de mama é causado pelo crescimento desordenado de células que formam os tumores benignos ou malignos. Os benignos crescem até um determinado ponto, de forma lenta e expansiva. Já os malignos aumentam desordenadamente, invadindo as células normais à sua volta. Esse último pode afetar a circulação e chegar a outros locais do corpo, causando a metástase. Apesar de todas as informações sobre a doença que estão disponíveis nos diversos meios de comunicação, a taxa de mortalidade continua elevada no país, pois o câncer é diagnosticado em estágio avançado.

Segundo dados do INCA, o câncer de mama no Brasil é o tipo com maior incidência em mulheres de todas as regiões, exceto no Norte, onde o câncer de colo do útero ocupa a primeira posição. Ele é o mais comum em mulheres acima de 50 anos e em pessoas com histórico familiar. Alterações no aspecto da mama, aréola e mamilos são alguns sintomas mais comuns, assim como o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular. Dependendo do caso, o câncer pode ou não provocar dores.

QUANDO DEVE SER REALIZADO OS EXAMES

Mesmo sabendo que o autoexame é fundamental na descoberta de alguma alteração na mama, ele não deve ser o único meio de diagnostico precoce, a mamografia é fundamental para um diagnostico completo e mais eficaz. Por isso, é recomendado que mulheres entre 50 e 69 anos realizem mamografia a cada 2 anos acompanhando do exame clinico anual, já para as mulheres de 40 a 49 a recomendação é a realização do exame clinico anual, e a mamografia quando surgir alguma alteração.

Para as mulheres que encontram-se na classe de risco elevado, deverá iniciar os exames aos 35 anos de idade. Encontram-se nessa classe de risco: Mulheres com histórico familiar de câncer de mama de primeiro grau antes dos 50 anos, câncer bilateral (quando existe a presença de nódulos nos dois seios) ou de ovário em qualquer idade; e histórico familiar de câncer de mama masculino entre outros sinais.

Para evitar que outras mulheres estejam entre esses números alarmantes, é necessário que toda a sociedade entenda a importância desse tema e abrace a causa defendida pelo Outubro Rosa. Além dos exames de prevenção, como a mamografia e o toque, as mulheres devem cuidar da alimentação, pois o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença; buscar o equilíbrio emocional, evitando principalmente o stress, e fazer atividades físicas regularmente. O uso do álcool e do tabaco também não é recomendável, pois o fumo tem relação direta com vários outros tipos de cânceres.

Fontes: Oncologistas AssociadosTemas Preferidos / SBOC

Deixe o seu comentário!