O que analisar em softwares para saúde antes de contratar? - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

O que analisar em softwares para saúde antes de contratar?

O que analisar em softwares para saúde antes de contratar?

Por Raabe Moro em 21/06/2016.

Por que dar atenção aos ‘softwares’?

Em primeiro lugar, porque softwares como serviço têm se tornado a grande revolução para as empresas. A forma como os softwares conseguem oferecer excelente relação “custo x benefício” e a capacidade de otimizar processos dentro do ambiente do cliente ou da instituição, são dois dos maiores motivos para prestar a devida atenção e analisar softwares para a saúde.

Eles partem de uma proposta inovadora e extremamente benéfica, onde permite não somente melhor gerenciamento e controle como, também, maior aproveitamento e menos desperdícios de recursos essenciais para a continuidade e qualidade das atividades (atendimento ao paciente, controle de qualidade, desenvolvimento de pesquisas, controle e manipulação de medicamentos, etc).

No caso de um software, em formato de serviço, voltado para a área da saúde, é crucial a escolha de uma solução que atenda às demandas específicas das instituições. As empresas de tecnologia que desejam ou atendam a área deve trabalhar com foco em compreender as necessidades da saúde (equipes e pacientes) para operar com alto desempenho em um ambiente de profunda complexidade como um hospital, por exemplo.

Instituições sérias que promovem o valor humano e a garantia da vida tem em seu processo insumos essenciais na melhoria da qualidade, no atendimento e na eficácia dos tratamentos e esse fator deve pertencer às empresas de tecnologia que desenvolvem softwares e serviços para a saúde!

análise de software

O que isto significa, na prática, para os envolvidos na área da saúde?

A finalidade da tecnologia em geral é gerar experiência para os seus usuários, independente de setor. As empresas de tecnologia, quando voltadas para saúde não devem pensar diferente, muito pelo contrário, os softwares e serviços devem prezar pela total experiência do usuário e principalmente, pelo seu feedback. O motivo maior é, o simples fato de, que em ambientes de saúde, o software implantado deve auxiliar equipes e responsáveis a gerir materiais sensíveis com alto custo (para o bolso e para a vida), tais como medicamentos oncológicos, vacinas, análises clínicas, bolsas de sangue, pesquisas em saúde e também pesquisa em alimentos, obtendo o máximo de excelência possível!

É importante evidenciar o valor e a responsabilidade de analisar a usabilidade de um serviço de tecnologia (composto por softwares e equipamentos, hardwares), ou seja, analisar a facilidade de uso de um software, a eficiência dele – pense no caso de uma solução de monitoramento de temperatura em tempo real nos ambientes de saúde ou na indústria – para saber se está adequado às necessidades da instituição.

Por sermos uma empresa de tecnologia que, diariamente, recebe analises de dados e de prestação de serviço, consideramos a usabilidade dos nossos usuários (farmacêuticas, pesquisadores, médicas, engenheiros, etc) primordial para a boa conservação dos insumos armazenados. Assim, levantamos dicas sobre como é possível analisar a usabilidade de um software e por que isto – que pode parecer uma questão aparentemente não pertinente aos setores que lidam prioritariamente com o objetivo de gerir recurso de saúde – é indispensável para uma experiência positiva neste sentido:

1) O software funciona corretamente?

O advento das tecnologias inovadoras nas instituições de saúde faz crescer a necessidade de explicar aos usuários o quanto a experiência, dores e opinião deles são importantes para a confecção das plataformas que atuam como software de serviço.

Logo, o primeiro item que deve ser analisado na usabilidade do serviço de tecnologia é se ele funciona corretamente dentro das demandas a que deve atender precisamente e se suas funcionalidades estão certas para o que você precisa em seu ambiente. Por exemplo, se houver algum desajuste – ou seja, o software funciona, mas não especificamente do jeito certo para alguma necessidade – é possível customizá-lo exatamente de acordo com suas necessidades, desde que haja esta cooperação importante para que a empresa de tecnologia fornecedora compreenda o que a instituição de saúde realmente precisa.

2) É simples de ser operado e cumpre seu objetivo de simplificar e facilitar o controle por parte dos profissionais?

Para quem faz o controle das temperaturas em planilha manual, registrando de tempos em tempos as temperaturas de uma ou várias câmaras e ambientes, por exemplo, tendo que manter esse rigoroso controle diante das outras atividades (e que não são poucas), implantar um bom software de serviço pode representar mais segurança, facilidade na execução dessa tarefa, simplificando a rotina de trabalho e ajudando, inclusive, na detecção de falhas que sejam comprometedoras aos insumos ou ao paciente.

Aqui é importante analisar os seguintes itens:

  • Quantos por cento agiliza o processo (registra automaticamente, por exemplo);
  • Facilita o controle de itens obrigatórios (profissional torna-se controlador e não verificador ponto a ponto);
  • Ajuda na intervenção rápida de problemas que possam colocar em risco a integridade ou a qualidade dos insumos ou atendimento;
  • O quanto agrega em valor para a instituição (humano e financeiro) ao evitar perdas irrecuperáveis (dados ou materiais);
3) O quanto seu software está ajudando a otimizar e preservar recursos?

Aqui falamos dos resultados, propriamente ditos. É importante analisar o quanto o software de serviço que será contratado ajuda a reduzir prejuízos ao máximo (que podem trazer sérias consequências não só para a instituição como – PIOR! – para os pacientes que dependem do bom gerenciamento de um estoque de insumos, por exemplo) e agrega confiabilidade e segurança às operações.

Bom desempenho e usabilidade de um software garantirá a qualidade e conservação dos recursos, otimizando-os e evitando perdas, que terão de ser repostas, gerando retrabalho, gastos excessivos, mobilização de voluntários – o que pode não ser tão fácil, no caso de doações de sangue – convocação de pacientes para colher amostras novamente (que tenham sido invalidadas) e até atrasos em demandas essenciais, que não poderiam esperar muito por eles – como tratamentos, resultados de exames dos quais dependam possíveis cirurgias e até transfusões, se for o caso.

Pense neste filme como um resumo do projeto. Como projetar um hospital ou sistema que ajuda e apóia cada uma das pessoas e suas circunstâncias?

Para nós da Sensorweb, o lidar diariamente com materiais que precisam ser armazenados sob refrigeração, medicamentos, vacinas e demais recursos que precisam ser mantidos em condições ideais de temperatura, exigindo o controle, um a um, em diversos momentos do dia pode ser um grande desafio para as equipes envolvidas, mas com a ajuda de um software de serviço com usabilidade realmente boa isso, essa atividade adquiri mais garantia e tranquilidade.

E então, entendeu como você pode perceber a usabilidade de um software antes de contratar? Deseja saber mais sobre como podemos ajudar você e a sua instituição? Acesse aqui e agendamos uma apresentação contigo! E se ficou alguma dúvida que gostaria de esclarecer? Deixe um comentário; estamos aqui para ajudar! 😉


MATERIAIS RELACIONADOS:

E-book: 9 dicas para escolher um bom Sistema de Monitoramento Contínuo

>> Sensorweb: treinando novos clientes
>> Tempos de crise: Como garantir insumos e a otimização de equipes mesmo com redução de custos?
>> Internet das coisas: Beneficência Portuguesa de São Paulo e a monitoração de sua farmácia
>> Cadeia do Frio no Mundo: Um futuro que já é presente
>> O que é um sistema validável (anvisa)?

Comentários

Deixe o seu comentário!