O monitoramento de temperaturas impulsionando pesquisas científicas na saúde - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

O monitoramento de temperaturas impulsionando pesquisas científicas na saúde

O monitoramento de temperaturas impulsionando pesquisas científicas na saúde

Por Douglas Pesavento em 06/06/2014.

Pesquisas científicas na saúdeOs estudos científicos nos impulsionam a novas descobertas e quebras de paradigmas, encontrando soluções que podem revolucionar a história e a vida das pessoas. Estes resultados, entretanto, não surgem da noite para o dia – mas sim envolvem o trabalho e pesquisa acumulado de longos períodos e o esforço de muita gente. Podemos imaginar, deste modo, o quão valioso é este processo.

Pesquisas relacionadas com a cura do câncer, por exemplo, como as desenvolvidas no ICESP – Instituto do Câncer de São Paulo – podem salvar a vida de muita gente, com descobertas de novas opções de tratamento, novos medicamentos ou novos processos que possam trazer mais conforto aos pacientes. Outro exemplo são as pesquisas desenvolvidas pelo CDCT, vinculado ao FEPPS – Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde, no estado do Rio Grande do Sul: onde pesquisas em biotecnologia podem gerar contribuições para diagnóstico de doenças infecciosas como a tuberculose e até mesmo a AIDs. Ou também as pesquisas desenvolvidas pela Fiocruz – Instituto Carlos Chagas, em áreas como pesquisa de células tronco, diagnóstico, biologia molecular, entre outros.

Os laboratórios de pesquisa estão de fato lidando com materiais, métodos e experimentos de valor inestimável, que podem fazer a diferença entre a vida e a morte para um grande número de pessoas.

Lidando com estes insumos de grande valia em seu dia-a-dia, entra a questão: quão segura é a conservação destes insumos para que não se perca todo este legado e material de grande valia? Muitos insumos e materiais de pesquisas precisam ser mantidos em condições de temperatrura específicas ou podem perder suas características e invalidar teses de anos e anos. Principalmente se tratando de materiais orgânicos e amostras biológicas, é imprescindível a manutenção destes insumos em condições adequadas para validar os resultados encontrados e as descobertas feitas.

Já imaginou o quão frustrante seria perder materiais e experimentos científicos desta importância?

Evitar perdas pesquisa científicaEstas perdas envolveriam muitos anos de trabalho e conhecimento científico desperdiçado, além de envolver grandes prejuízos não só para as instituições responsáveis mas para toda a humanidade.

Deste modo, como podemos assegurar que os materiais de pesquisa sejam bem acondicionados, evitando o risco destas perdas? Muitos insumos são conservados em incubadoras, armazenados em refrigeradores, freezers ou ambientes controlados e isolados. Nestes casos, mais do que a conferência diária das temperaturas, de tempos em tempos, é importante a conferência em tempo real, com intervalos muito curtos, para garantir que não houveram alterações nas condições de conservação dos materiais e estudos. Para isso, estar munido de informações confiáveis é um ponto-chave, bem como ser antecipadamente alertado em casos de risco.

Se basear apenas nos termômetros e em anotações manuais realmente não garantem um grau de confiabilidade e segurança da pesquisa e de seus resultados.

Os mesmos casos do ICESP, FEPPS e FIOCRUZ confirmam isso: utilizando-se de sistemas de monitoramento constante e sistemas de alerta, estão reduzindo o risco de perdas e investindo em um recurso que dá às suas pesquisas uma maior confiabilidade e segurança.

Grandes avanços, grandes pesquisas e grandes responsabilidades. Neste cenário acreditamos que o melhor seja evitar então os grandes prejuízos, investindo na segurança e conservação das pesquisas.

Quer conhecer os métodos de registro e controle de temperatura?Baixe aqui o E-Book elaborado pela SensorWeb.

Deixe o seu comentário!