Monitoramento de temperatura: por que os números não batem? - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

Monitoramento de temperatura: por que os números não batem?

Monitoramento de temperatura: por que os números não batem?

Por Sensorweb em 30/10/2016.

Uma das coisas que perturbam algumas pessoas que trabalham diretamente com o monitoramento da temperatura é a confusão relacionada aos valores monitorados dentro de uma câmara fria ou geladeira em comparação à sensores ou medidores de temperatura, pois, mostram muitas vezes, parecer não corresponder entre eles.

Antes mesmo que essas dúvidas ocorram com o serviço da Sensorweb, a equipe de Customer Success e de Implantação apresentam avaliações e demonstram as oscilações que ocorrem dentro da geladeira, bem como o posicionamento de sondas e, principalmente, do armazenamento dos medicamentos (Muito importante lembrar que a quantidade de itens armazenados influencia diretamente, e muito, no equilíbrio da temperatura dentro da geladeira ou câmara).

duvidas

Neste post trouxemos algumas das questões que nossa equipe explica aos clientes, para que você também compreenda como sua geladeira funciona. Antes de tudo, é importante destacar que, na grande maioria dos casos, não se trata de um defeito de fabricação dos produtos ou de configurações. Existem diversos fatores que podem variar os valores de temperatura, que vão desde o posicionamento da geladeira no ambiente até a calibração dos equipamentos. Vejamos mais detalhes a seguir!

Quais são os motivos da temperatura oscilar?

Há uma série de fatores que podem influenciar a variação da temperatura registrada de geladeiras e câmaras frias, sendo que dois deles nós consideramos como os principais que é a umidade relativa do ar (UR) e a troca de calor entre dois corpos e/ou ambientes. É muito difícil conseguir criar um ambiente que seja 100% isolado termicamente de trocas de calor com qualquer outro ambiente.

Por exemplo, quando abrirmos a geladeira podemos ver muito bem esses fatores entrando em ação, em que dois ambientes que estavam isolados começam a entrar lentamente em equilíbrio térmico. O ar frio e seco da geladeira começa a se misturar com o ar quente e úmido do ambiente ao seu redor, caso essa mistura comece a ocorrer por mais tempo (abertura de porta prolongada, falha na vedação da porta ou o próprio equipamento com qualidade térmica inferior), problemas na refrigeração começam a surgir, desgastando geladeiras e câmaras. E sempre bom lembrar que, por consequência, os materiais armazenados também sofrem com esse desgaste.

O caso da “bagunça térmica” de geladeiras

Normalmente, dentro das geladeiras comuns de uma porta (ou seja, que não são câmaras científicas ou câmaras de frio), a temperatura na região inferior é algo entre 6°C e 10°C e na parte superior fica entre 2°C a -2ºC. Isso se dá por conta do processo conhecido como convecção, ou seja, é um resfriamento causado pelo movimento do ar dentro do eletrodoméstico.

Refrigeração por convecção

Em explicação simples, funciona assim: o ar frio é mais pesado que o quente, então o primeiro se desloca em curva descendente e o ar quente, de forma ascendente. Consequentemente, o movimento faz com que a corrente quente se resfrie e fique mais pesada, formando o movimento contínuo.

Já no congelador, há temperaturas que oscilam entre -1ºC a -4ºC e é o que mantém a temperatura baixa na geladeira. Junte-se a isso a temperatura no exterior do equipamento, que, por contato com o ambiente e dependendo do posicionamento do equipamento dentro desse ambiente, acaba ficando aquecido. Por isso, quando vamos medir as temperaturas da geladeira, existe essa ‘bagunça térmica’ e cada ponto da mesma possui uma temperatura muito próxima, mas não necessariamente igual, portanto: dentro dos equipamentos as temperaturas são as mais variadas, e que se misturam a todo momento, para culminar no resfriamento do interior da geladeira. Explicamos tudo isso para corresponder à temperatura apontada no termostato ou na sonda.

bagunça-térmica-geladeira-temperaturas

Como funciona a medição da temperatura?

Geralmente o termômetro ou o sensor instalado dentro do equipamento de conservação fica em uma parte específica, seja nas paredes ou embaixo de uma de suas prateleiras, a preferência é que seja em um local que fique mais no centro, pois medirá a temperatura daquele ponto em específico, que é mais equilibrado termicamente, devido ao fato de que o ar que circula dentro do ambiente está em constante movimento, ou seja, nem no ponto mais frio, nem no mais quente.

É importante ressaltar que os resultados imediatos que aparecem no sensor assim que ele é instalado não são de fato os números reais, o termômetro ou o sensor levam cerca de 20 minutos para estabilizar e apresentar de fato a temperatura correta, isso também vale para quando você abre e fecha o equipamento por muitas vezes ou deixa a porta aberta por um longo período.

Detalhes de uma medição

Como acabamos de escreve, as sondas de medição precisam estar bem posicionados dentro da geladeira para que se tenha uma média real do que está acorrendo dentro dela. Se por acaso a sonda estiver posicionado mais próximo do compressor (parte superior) ele medirá mais frio, se estiver mais para baixo do equipamento, terá uma variação para “mais quente” (a variação pode ser pouca, porém existirá essa variação, sim).

Também existem as câmaras científica que já vêm acoplado sondas e possuem um visor demonstrativo. Nestes casos, os valores que demonstram no monitor dela é uma média pondera de todos os pontos de medição que existe no equipamento, sem isolar uma parte ou outra no interior da câmara. Por exemplo, a temperatura que se apresenta no display da própria câmara (ou freezer) dificilmente será igual ao valor medido de uma sonda instalada dentro do mesmo equipamento. Isso ocorre por dois motivos e que estão interligados. O primeiro fator é que a sondas da câmara e a sonda do sensor muito provavelmente não estarão na mesma posição e o segundo motivo, que seria a causa do primeiro, é que o sensor original de uma câmara normalmente fica dentro da estrutura do equipamento, ou melhor, da carcaça ou dentro da circulação de ar-frio tornando a proximidade entre a sonda adicionada (do sensor) e a sonda original difícil. Assim a diferença entre esses dispositivos é esperada!

Se você tiver um equipamento de monitoramento como sensores, saiba que há também variações que podem ser analisadas e nós levantamos uma série de perguntas como: as sondas estão em glicerol? ou é temperatura do ambiente interno? A sonda do sensor está bem posicionada dentro da geladeira? Qual a quantidade de produtos armazenados dentro da câmara? Ela anda cheia? São diversos detalhes que influenciam no bom monitoramento das temperaturas dentro de um ambiente.

Importância de manter um controle de temperatura

Não é simplesmente instalando o termômetro ou o sensor no equipamento que seus problemas com a temperatura estarão encerrados; é importante que você realize um controle.

Entenda que a temperatura dificilmente irá se manter exatamente igual por um longo período de tempo, por isso é recomendado que você delimite uma variação aceitável, uma temperatura máxima e mínima que é permitida para o bom funcionamento do equipamento e para a preservação do que você está estocando em seu interior.

As recomendações da ANVISA é que você observe as temperaturas máximas e mínimas registradas pelo termômetro ao menos duas vezes por dia (dependendo da área de atuação na saúde ou no setor alimentício que você trabalhe), para conseguir assim manter um mínimo controle por meio de anotações. Entretanto, nós da Sensorweb, por experiências vividas diariamente junto aos nossos clientes sabemos que entre uma anotação e outra, diversas situações ocorrem e as temperaturas podem variar para além dos limites almejados pela sua instituição.

Com o objetivo de melhor controle e levante de gráficos, a fim de observar qualquer anormalidade que possa acontecer em relação à estabilidade da temperatura necessária para que o equipamento funcione adequadamente, e tenha sua vida útil prolongada, é que sugerimos a utilização de um monitoramento contínuo com tecnologia avançada e principalmente, com uma equipe que otimize o serviço de monitoramento permitindo que o monitoramento funcione 24h por dia e 7 dias por semana. Só assim você terá uma compreensão completa do que acontece no seu equipamento.

Se interessou pelo assunto e deseja saber mais sobre nosso serviço? É só solicitar a apresentação da nossa solução que entramos em contato com você. No mais, se você tem alguma dúvida a respeito do assunto ou quer se informar melhor, acesse agora o nosso blog com vários conteúdos sobre monitoramento de temperatura, dicas de otimização, armazenagem, estabilidade e tecnologias para o setor.


MATERIAIS RELACIONADOS:

E-book: 9 dicas para escolher um bom Sistema de Monitoramento Contínuo

>> A Tecnologia auxilia pessoas e processos na saúde?
>> O que é um sistema validável (ANVISA)?
>> Sensorweb: treinando novos clientes
>> O que analisar em softwares para saúde antes de contratar?
>> Como perceber confiabilidade?
>> Porque preciso do certificado de calibração?

Comentários

  1. - 19/01/2017

    Gostaria de cotação para Monitoramento de temperatura e umidade, ficha técnica, instruções de uso, etc. No aguardo

Deixe o seu comentário!