A importância da temperatura em Hospitais - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

A importância da temperatura em Hospitais

A importância da temperatura em Hospitais

Por Douglas Pesavento em 22/05/2015.

Aproveitando o encerramento da Feira Hospitalar, a maior feira das Américas de produtos e desenvolvimento de negócios na área médica e hospitalar, estamos trazendo informações relevantes dessa área para o nosso blog.


A temperatura em hospitais é uma das variáveis mais monitoradas e importantes nos processos hospitalares.


Temos o acompanhamento da temperatura dos pacientes e de seu ambiente, de suas refeições e também de seus medicamentos, bem como dos ambientes de armazenamento, manipulação de medicamentos e alimentos. Mesmo sendo tão importante em várias frentes, essa variável ainda é “negligenciada” nos ambientes hospitalares, uma pesquisa realizada em 2013 junto a hospitais privados de grande porte apontou um percentual de 75% destes ambientes com monitoração e registros manuais. São vários os riscos no monitoramento e registro manual, que você obtém mais detalhes nesse post aqui, mas voltemos para a importância dessa monitoração nas instituições hospitalares.

Neste primeiro post trouxemos uma das principais áreas do Hospital, se não, a mais importante: a farmácia. Os hospitais possuem estruturas muito semelhantes na organização de suas farmácias, existe uma área de almoxarifado ou estoque principal, onde são recebidos os medicamentos, armazenados e distribuídos internamente para as farmácias satélites, que normalmente são distribuídas por andares e UTIs. Isso depende da estrutura física de cada hospital, mas sempre com objetivo de facilitar o acesso das áreas fins (leitos e UTIs) aos medicamentos.


 

Os hospitais possuem estruturas muito semelhantes na organização de suas farmácias.


Começamos pela recepção dos medicamentos, neste momento é importante ao responsável neste processo se certificar da temperatura dos produtos dos medicamentos termolábeis ou imunobiológicos. As vacinas por exemplo, necessitam de uma caixa de transporte específica para manter a temperatura entre 2ºC e 8ºC. Para verificar essa temperatura o responsável deverá se utilizar de um termômetro do tipo espeto ou infravermelho. No guia de boas práticas na rede de frio da ANVISA é possível ter mais detalhes sobre esse procedimento.

Após se certificar que esta temperatura está de acordo, estes medicamentos seguem para um estoque intermediário, onde ficam até o momento de serem despachados para as farmácias satélites. Neste momento, o almoxarifado fica responsável por monitorar e registrar a temperatura desses estoques e para os medicamentos termolábeis normalmente são utilizados câmaras frias para  permitir o estoque de um número maior de medicamentos. Este ambiente é crítico pois possui grande quantidade de medicamentos e uma falha no sistema de refrigeração ou fornecimento de energia coloca em risco estes produtos, logo um sistema de monitoramento se faz necessário como item de segurança.

Para o envio de medicamentos termolábeis para as farmácias satélite é necessária a utilização de caixas térmicas para manutenção da temperatura, para a instituição é importante monitorar esta temperatura e fazer a qualificação destas caixas e processos, se certificando de que não existe quebra da cadeia. Existem ótimas empresas especializadas na área de qualificação e validação, caso você esteja necessitando algo, entre em contato conosco para te indicar a mais próxima.

Uma vez na farmácia satélite, deverá monitorar e registrar as temperaturas do estoque, sendo que os medicamentos termolábeis e imunobiológicos ficam em uma câmara de conservação. Segundo a Organização Mundial de Saúde e a RDC nº 57 da ANVISA, os refrigeradores de uso doméstico, projetados para a conservação de alimentos e produtos que não demandam precisão no ajuste da temperatura, não são mais indicados para o armazenamento e conservação dos imunobiológicos e indica que o uso das câmaras seja específica e de uso exclusivo. No mais, devido a grande utilização destes equipamentos, a abertura de porta constante traz um risco para a manutenção da temperatura nestas câmaras, e o monitoramento constante destes parâmetros é muito importante para uma melhor gestão e garantia da qualidade dos produtos.

Após a retirada dos medicamentos termolábeis da farmácia satélite, se faz necessária a contagem de tempo máximo de exposição à temperatura ambiente e por isso necessitam de agilidade para sua aplicação em pacientes. O ideal é a transferência destes medicamentos através de bolsas ou caixas térmicas menores, para garantir a manutenção desta temperatura até a aplicação do medicamento.


Este foi apenas um dos casos em que a temperatura é ponto importante para a saúde e segurança do paciente e qualquer problema em algum destes elos da cadeia pode comprometer todo o tratamento, bem como perdas tanto para a instituição como para os pacientes. Exemplo disso são os casos de medicamentos especiais, como oncológicos, que em alguns casos demandam importação e/ou rigoroso controle, uma perda neste sentido pode colocar em risco o paciente por interromper seu tratamento.

No próximo post dessa série, abordaremos a importância da temperatura nas áreas “meio”, como laboratórios e bancos de sangue. Sua opinião é muito importante para nós, por isso, deixe seu comentário ou entre em contato!

Deixe o seu comentário!