Como o sistema de monitoramento contínuo pode ajudar sua empresa (Parte 1) - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

Como o sistema de monitoramento contínuo pode ajudar sua empresa (Parte 1)

Como o sistema de monitoramento contínuo pode ajudar sua empresa (Parte 1)

Por Sensorweb em 05/02/2015.

Se você trabalha na área da saúde, certamente sabe da importância que o monitoramento da temperatura tem sobre o seu dia a dia. Embora seja simples o conceito de monitoramento, se compreendido de forma aprofundada, pode ser de grande valia para auxiliar o progresso do seu trabalho. Pode, por exemplo, ajudá-lo a sair de apuros em momentos delicados com reguladoras e certificadoras, ou mesmo a dimensionar os equipamentos necessários, cortando gastos dispensáveis.

Mas por que monitorar?

Para qualquer empresa que mantenha os padrões exigidos pelas regulamentações federais, a necessidade de se monitorar o ambiente é sustentada pelo princípio de qualidade contido em toda essa legislação. Seguir as práticas aplicadas ao monitoramento e ao controle térmico é um reforço para diminuir os riscos inerentes a pacientes e clientes, dar segurança ao seu empreendimento e garantir a integridade das suas informações.

Imagine ver um produto carro-chefe se tornar impróprio para consumo simplesmente por um descuido que o expôs a temperaturas erradas. No caso menos impactante, sua empresa perderia apenas capital com matéria-prima e retrabalho. No entanto, em casos mais graves, seu negócio pode aparecer nos noticiários por ter prejudicado a saúde de alguém. Por isso, é importante contar com sistemas de monitoramento e controle de temperatura que seguem os padrões e normas exigidas por órgãos nacionais e internacionais.

História do monitoramento

Como já dito anteriormente, realizar o monitoramento da temperatura pode ser algo realmente simples. Um termômetro dentro de um congelador, por exemplo, já pode ser considerado como forma de monitoramento. No entanto, o que poderia acontecer se o congelador parasse de funcionar? Certamente, ninguém iria perceber até que a próxima verificação fosse realizada, o que já poderia ter custado a integridade de toda uma linha de estoque.

Foi em meados de 1888 que William Henry Bristol inventou o primeiro registrador gráfico, o que possibilitou um grande avanço no que diz respeito ao registro e controle térmico de ambientes controlados. Desse dado momento em diante, os dispositivos foram evoluindo para registradores que faziam a relação da temperatura tomando como base o tempo cronológico. Dessa forma, era possível saber quanto tempo um determinado ambiente havia estado fora das temperaturas ideais, o que de certa forma dava uma dimensão dos estragos, mas ainda não era capaz de evitá-los. Vale ressaltar que a manutenção era frequente e que os custos para manter um sistema quase ideal eram muito elevados.

Somente com a evolução dos aparelhos eletrônicos e as novas formas para transmissão de dados é que foi possível chegar no cenário atual, onde temos sistemas altamente complexos que conseguem monitorar, controlar e executar ações de controle em situações de risco.

Sistema de monitoramento contínuo

O monitoramento contínuo foi outro grande salto no que se diz respeito ao controle de temperatura em ambientes, isso porque com essa nova implementação, na sigla CMS, é possível coletar informações sobre a temperatura, mantendo um registro permanente que atenda as necessidades regulamentadas e, principalmente, receba em tempo real alertas quando o seu sistema controlado foge das temperaturas máximas e mínimas permitidas.

Um CMS é capaz de monitorar outros parâmetros além da temperatura, como a umidade relativa e a pressão atmosférica. E basicamente qualquer sensor elétrico pode ser integrado ao CMS. Como boa parte das tecnologias, o CMS também contribui para otimizar o tempo, economizar recursos financeiros, evitar falhas humanas e permite que os responsáveis administrativos foquem em questões de mais alto nível.

Essa foi só a primeira parte de um conjunto de três artigos sobre o tema. Aguarde os próximos posts! E, para saber mais, acesse nosso conteúdo 3 motivos para abandonar as planilhas de controle de temperatura e buscar melhores soluções. Nele, você descobrirá o quão importante é ter um sistema informatizado e bem preparado para monitorar e controlar o seu ambiente.

 

Comentários

  1. - 18/02/2015

    douglas evitor maravilhosa ideia. tem que se começar por ai mesmo. nos usamos essa mesma técnica para aqueles que são neófitos no assunto. parabéns fanem-sensorweb

    • - 10/03/2015

      Obrigada, Sr. Djalma. Ficamos felizes em saber que nossas notícias estão chegando até você. Um forte abraço. sensorweb-fanem

Deixe o seu comentário!