Bem-vindos à Medicina do Futuro - Sensorweb

Solução Prática para o Monitoramento de Temperatura

Bem-vindos à Medicina do Futuro

Bem-vindos à Medicina do Futuro

Por Sensorweb em 20/11/2017.

Vamos começar hoje como começamos o nosso último encontro (afinal, nunca é demais repetir): o futuro da Saúde é agora.

E fique tranquilo. Porque também seguimos afirmando que você não leu errado nem está louco: está apenas começando a mergulhar no segundo texto da série especial sobre inovações e tendências tecnológicas na área da Saúde.

Como já focamos nos pacientes e no que eles devem esperar em termos de avanços tecnológicos e benefícios – graças à Internet das Coisas, dessa vez achamos melhor aprofundar um pouquinho mais e falar, especificamente, sobre a Medicina do Futuro.

Isso mesmo! Hoje o nosso papo vai girar em torno das tendências que estão surgindo no mercado em termos de equipamentos e dispositivos, da inteligência artificial e da telemedicina.

Tudo isso pode parecer uma realidade muito distante ou um filme de ficção científica, a gente entende. Mas, não. Definitivamente, não é. Não podemos esquecer que enquanto estamos aqui, batendo esse papo, uma infinidade de profissionais está, ao redor do mundo, descobrindo, criando e produzindo equipamentos que vão definir – muito antes do que a gente imagina – os rumos da medicina (e da Saúde).

Afinal, a tecnologia e seus avanços são, atualmente, a engrenagem que move todas as esferas da nossa sociedade. E com a Saúde – que talvez seja a mais importante dessas esferas – não poderia ser diferente.

 

Relembrando

Para início de conversa é preciso relembrar. Afinal, nos dias de hoje, é impossível falar de tecnologia sem falar de Internet das Coisas e de todos os benefícios que essa “maravilha” traz para o nosso dia a dia.

Então, lembre-se: a Internet das Coisas se refere, literalmente, à conexão dos mais variados objetos (coisas) com a internet. Com isso em mente, é preciso entender, de uma vez por todas, que é graças a ela que a fusão entre o “mundo real” e o “mundo digital” já é uma realidade – realidade essa, aliás, que ainda tem um longo caminho de evolução e novidades pela frente.

Sendo assim, podemos afirmar que a Internet das Coisas, nada mais é do que uma expansão, um crescimento da conectividade. Que ao invés de usar os dispositivos “tradicionais” – se é que podemos chamá-los assim – para se conectar, podemos tirar proveito dos infinitos benefícios que a internet traz e inseri-los em qualquer cenário – o que envolve, então, todo tipo de objeto (coisa).

Relembrado isso, vamos adiante.

automação hospitalar telemedicina

Medicina do Futuro

Não precisamos forçar muito a memória para lembrar que, até pouco tempo, o diagnóstico em saúde se resumia a uma consulta com um profissional e uma avaliação baseada nos fatores clínicos e laboratoriais – que, diga-se de passagem, eram pouco (ou quase nada) precisos. A comprovação científica, então, muitas vezes passava longe do conhecimento dos profissionais de Saúde.

Isso para não falar da quantidade limitada de métodos diagnósticos e do tempo que os resultados de exames levavam para sair – prejudicando, e muito, a tomada de decisão ou até mesmo o tratamento.

Hoje, porém, vivemos uma realidade completamente diferente e isso tudo graças a ninguém mais, ninguém menos, que a Medicina do Futuro.

É isso mesmo: a Medicina do Futuro nada mais é do que a inovação do conhecimento médico trabalhando de mãos dadas com a evolução e os domínios das tecnologias de ponta, trazendo cada vez mais avanços e benefícios para a sociedade como um todo.

É por causa da Medicina do Futuro que as vacinas estão com reações cada vez menos adversas; que as pesquisas sobre envelhecimento saudável e rejuvenescimento, nutrição alimentar e manutenção de doenças crônicas estão cada vez mais avançadas; que os resultados de exames estão cada vez mais completos e são obtidos em tempo real; os diagnósticos, mais rápidos e precisos; os procedimentos, mais seguros e menos invasivos; e os tratamentos, mais efetivos.

Isso tudo nos leva, é claro, à evolução dos instrumentos, dispositivos e equipamentos ao longo de todo esse processo. Afinal, o sem-número de tecnologias que está sendo aprimorado e surgindo na área da Saúde faz com que esses equipamentos sejam diretamente atingidos.

 

Mas “quem” são eles?!

A inovação e a tecnologia só são, atualmente, uma realidade na vida e no dia a dia de pacientes – que foram o ponto central do nosso último encontro – porque já existem, além de técnicas e procedimentos, equipamentos cada vez mais modernos e conectados, confirmando a sensação de que “o futuro é agora”.

Ok, perfeito. A tecnologia tá aí, os equipamentos e tendências existem e os benefícios também. Está mais do que na hora, então, de sabermos “quem” são eles, né?!

Telemedicina

Parece coisa de filme futurista, mas não é. A telemedicina é o “abraço” de tecnologias e aplicações que permitem a realização de ações médicas à distância – seja atenção ao paciente ou a outros profissionais da área.

Sim, ela já é uma realidade, mas está apenas no começo. Com a evolução dos meios de comunicação, é natural que o contato entre médicos e pacientes seja feito à distância, sendo igualmente eficaz e benéfico. Além disso, a Telemedicina pode ser usada para aprimorar os estudos científicos ou, ainda, emitir laudos e resultados. Já pensou em como a vida de pessoas que vivem em áreas remotas pode melhorar?! A Telemedicina traz, junto com os avanços tecnológicos, a possibilidade (e a esperança) de uma Saúde mais acessível e democrática.

Inteligência Artificial

As máquinas já começaram a pensar, transformando em presente o que, até pouco tempo, era apenas ficção científica. É inegável que esta é uma revolução que traz maravilhas para o mundo moderno – mas também desafios.

A Inteligência Artificial é a parte da Ciência da Computação que desenvolve dispositivos, estruturas e robôs capazes de desenvolver funções – com perfeição, se é que ela existe – antes só observadas em humanos, como pensar, mensurar, executar tarefas, tomar decisões e resolver problemas, por exemplo. Quando essa Inteligência Artificial se ‘conecta’ com a Internet das Coisas, a história fica (para os dias de hoje) quase “surreal”, pois os dispositivos utilizados pela IoT são capazes de mensurar constantemente os dados e ao encontrar, por exemplo, padrões desalinhados, analisados e configurados. Isso significa que o equipamento pode, nesse caso, “tomar decisões”, com intuito de reconfigurar e estabelecer a ordem – sem a autorização ou até mesmo aviso prévio às pessoas responsáveis pelo processo.

Além disso, na medicina, a ideia é que a Inteligência Artificial seja utilizada, principalmente, na realização de cirurgias. Estudiosos garantem que robôs são capazes de obter uma performance igual ou melhor que a de profissionais tradicionais de Saúde em procedimentos minuciosos, como a angioplastia, por exemplo.

Dispositivos móveis

A vida de pacientes portadores de doenças crônicas pode dar um giro de 180º graças à Medicina do Futuro. Isso porque pequenos equipamentos e dispositivos já são capazes de fazer um monitoramento contínuo e eficaz de sua condição clínica.

Pacientes hipertensos, por exemplo, podem ser beneficiados pelos chamados smartwatches ou, em bom e claro português, relógios inteligentes. Diretamente conectados a um aplicativo instalado em um telefone celular ou tablet, por exemplo, eles são capazes de medir a pressão arterial, nível de oxigenação, batimentos cardíacos e tantos outros indicadores, podendo, assim, ser acompanhados em tempo real pelo médico (ou profissional de saúde).

Não podemos deixar de citar ainda os dispositivos que estão cada vez mais presentes em ambientes hospitalares. Esses com um único objetivo: monitorar grandezas, como CO2, Nitrogênio, Temperatura, Umidade, Eletricidade, Oxigênio, etc. Um hospital com setor de UTI, por exemplo, possui uma série de gases, equipamentos, materiais coletados, ou seja, uma infinidade de itens que precisam de controle, tudo para garantir a qualidade e a Segurança do Paciente dentro do ambiente.

Farmacogenômica

A palavra pode soar complicada. Mas a Farmacogenômica nada mais é do que o tratamento personalizado de acordo com a identidade genética do paciente, também pode ser chamada de epigenética em alguns casos. Ela estuda a fundo as variabilidades genéticas do indivíduo e como cada um deles responde a tratamentos medicamentosos, garantindo, assim, que a pessoa receba a dosagem apropriada – garantindo que o fármaco seja eficaz, e não tóxico.

Uma vez que os estudos para caracterização genética, hoje, são realizados apenas em laboratórios de pesquisa, o grande desafio do setor neste momento é aprimorar cada vez mais esse método laboratorial. Só assim será possível torná-lo mais acessível, melhorando a relação custo/benefício para os gestores em Saúde e, principalmente, para os pacientes.

internet das coisas

O Futuro da Saúde é agora!

Sabemos que no Brasil, em comparação com os países de Primeiro Mundo, por exemplo, a virada da Saúde para um ambiente cada vez mais digital ainda caminha vagarosamente em algumas áreas e nestas está um pouco longe de acontecer de maneira efetiva. Mas, não podemos negar que já contamos com alguns recursos bastante significativos, que tem feito toda a diferença na vida e na saúde de pacientes em todo o país.

A Medicina do Futuro já é uma realidade e é por isso que vamos seguir nos aprimorando e afirmando: o futuro da Saúde é agora e precisamos estar prontos para essa revolução.

E você?! Também acha que o futuro da Saúde é agora?! Já está pronto para a Medicina do Futuro?! Tem mais algum exemplo de equipamentos e dispositivos que fazem parte dessa realidade?! Você acredita em Inteligência Artificial e nos benefícios da Telemedicina?! Não deixe de falar com a gente! Lembre-se que nossa caixa de comentários está logo aqui embaixo, te esperando de braços abertos! Esse contato é muito importante para nós 🙂


ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES:

infográfico validação de sistemas
>> Distribuição de Medicamentos: gestão de qualidade e boas práticas
>> Armazenagem de Medicamentos: gestão de qualidade e boas práticas
>> Operadores Logísticos: como a cadeia do frio é beneficiada pela tecnologia
>> Legislação e os operadores logísticos
>> Internet das Coisas: Um aliado na luta contra as perdas de insumos

Deixe o seu comentário!